Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Dias como estes e aqueles

Ontem completei 20 anos de vida. Nada mais clichê e piegas do que escrever sobre a vida na data de aniversário. Porque recordar...recordar é viver. E um viva à cretinice.

Aniversários constituem dias esquisitos. Dias em que as pessoas me tratam de maneira incomum, me abraçam mais, falam coisas diferentes. O costumeiro "bom-dia" dá lugar a um inusitado "parabéns" seguido de um abraço, geralmente mais longo e apertado que os de outros dias.
Os presentes, comuns nos anos dourados da infância, vão escasseando com o avanço da idade. Os que vêm raramente estão empacotados. Não há mais papéis decorados e ornamentos delicadamente preparados.
Os bolos também não dão mais as caras. Brigadeiro, nem de colher. Será que ainda produzem velas ?

O fato de meu aniversário coincidir com o final do ano dá margem a um bom número de reflexões. Repassar as memórias e fazer um balanço do ano é inevitável, um tanto nostálgico, diga-se de passagem.
Objetivos e resultados, projeções e fins, se distorceram totalmente. Já não cabe mais o arrependimento por algo não feito, ou por algo feito. O que se tem é que é presente. Passado e futuro não fazem nada além de ofuscar o presente. E ponto.

Mas...eu falo isso todo fim de ano.
E todo começo de ano eu me apoio nos mesmos sonhos e expectativas. É incrível o fato de, depois de Dezembro, vir Janeiro, e as implicações que essa periodicidade tem sobre minha vida. É o sentimento de renovação, tão necessário numa vida de rotinas e obrigações para com tudo que se possa imaginar e tão sinal da fragilidade da vida humana. Roubo aqui as palavras de um grande professor de literatura do cursinho: a vida é um constante e "eterno retorno do mesmo". Concordo em parte com sua tese, mas isso fica pra outra hora.
Enfim, todo ano é a mesma balela...mas uma coisa decerto merece destaque: o valor inestimável das amizades que construí nesse ano e que ainda tem muito espaço pra crescer. Isso sim é destacável.

20 anos completados e uma barba por fazer. É assim que me sinto nesse fim de texto.
Boa noite.

Ps. não consegui completar o texto a tempo. Esse era pra ser o último post de Novembro...
Mas que droga.

2 comentários:

Hiromiiii^^ disse...

Gabrieeeeeeeeeel

Realmente.. aniversário é muito momento de reflexão, mas acho que esse ano refletimos bastante durante o ano, não?! e valeu muito a pena voltar a escrever.

Ah, quanto ao aniversário... tenho uma pergunta de uma tia que nunca me sai a cabeça: Você não vai fazer sua festa de 15 anos? 15 anos só se faz uma vez.
Sim... mas e as outras, não?! Meus 17 anos foram eternos e genuínos, meus 18 anos intensos e confeitados! E os 19... que seja inesperado!

E você? Não é bom fazer 20?

Amanhã tem bolo, hein?!
Beijãooo

Dolle disse...

ahh! de novo eu gostei muito do seu texto
tirando o fato de eu nao ter feito aniversario recentemente e nao ter uma barba por fazer, me sinto muito assim!
só um detalhe: "mas uma coisa decerto merece destaque: o valor inestimável das amizades que construí nesse ano e que ainda tem muito espaço pra crescer. Isso sim é destacável."
concordo muito...
enfim, adorei!
beijos!