Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 18 de julho de 2009

Vida Simples: Grandes expectativas (1/5)

Atrasei no horário marcado para o corte de cabelo. Tive que aguardar então uma brecha na conturbada escala de horários em cima da mesa, nada mais justo. Sentei, olhei para os lados...olhei pra baixo, pra cima...
A fim de fazer o tempo passar, pedi cordialmente uma xícara de café. Mas o tempo não passou. A coerção da espera e das pessoas conversando salão adentro foi grande e me forçou a folhear as revistas dispostas na estante. As opções eram vastas: Caras, RSVP, uma Saúde e uma Vida Simples.
Abri a Saúde, mas fechei alguns segundos depois, a reportagem sobre alimentos cancerígenos me irritou. Como relutei desde pequeno em abrir uma Caras, peguei a Vida Simples.
De capa provocativa (a pergunta era "Você está frustrado?"), a revista me atraiu com uma reportagem sobre expectativas e frustrações, tema recorrente nos posts desse blog.

Segue a reportagem, que se divide em áreas da vida moderna: vida pessoal, relacionamentos, trabalho e família. O texto é meio auto-ajuda...mas quem não aprecia um auto-ajuda de vez em quando?

"Grandes expectativas

Administrar nossas esperanças e perspectivas diante da vida pode ser uma boa forma de lidar com as frustrações que invariavelmente vão surgir em nosso caminho.

Existe uma lição universal: nem tudo na vida acontece da maneira como queremos ou desejamos. Alguns aprendem isso no dia a dia, vendo que o trânsito não vai andar só porque se está com pressa, que aquele filme nem sempre vai ser bom porque se apostava que ele fosse, que as pessoas de quem gostamos vão nos magoar de vez em quando, mesmo que quiséssemos evitar isso.
Já outros têm que passar por situações mais delicadas para constatar a mesma verdade: ver um relacionamento acabar, perder alguém querido, ser demitido depois de anos de dedicação à empresa. Mas ninguém, em todos esses casos, discorda de como é difícil encontrar obstáculos no caminho da realização de um desejo. Mas, se a gente sabe disso de cor e salteado, por que é que ainda sofremos tanto quando temos uma vontade frustrada?

A resposta está no fato de que tendemos a idealizar demais as coisas, criar grandes expectativas sobre tudo. É normal – e até imprescindível – nos rodearmos de expectativas. O problema é que, na maior parte das vezes, essas expectativas são tão elevadas que o confronto com a realidade é uma desilusão. E acabamos sofrendo com isso. No entanto dá, sim, para tolerar melhor a frustração que surge desse processo. É sobre isso que vamos falar a seguir.

Mas espera lá: antes que você crie esperanças demais sobre essa reportagem, vale deixar claro que nosso objetivo não é dar respostas prontas. Até porque cada um lida com as suas decepções de maneiras diferentes. Queremos mostrar que dá para colocar as frustrações para trabalhar a nosso favor no trabalho, na vida pessoal, nos relacionamentos e até nas relações familiares.
Tudo para você chegar ao fim do texto refletindo melhor sobre o que fazer quando algo contrariar suas expectativas. Sem grandes decepções."


Vou arriscar algumas palavras ao final de cada citação. Essa na verdade é a introdução da reportagem, parte da seção "Grandes Temas".
A pergunta indaga por que sofremos quando vemos uma vontade frustrada, mesmo tendo conhecimento de que as coisas não acontecem como queremos ou desejamos. A resposta replica dizendo que o problema é o fato de tendermos a idealizar demais as coisas, a criar grandes expectativas sobre tudo. Segundo o autor, rodear-se de expectativas está dentro da normalidade. Ainda bem.

Mas a pergunta não cala. Por que nos frustramos? Por que, mesmo sabendo que as coisas podem não acontecer como queremos, nos frustramos? Talvez a resposta esteja na própria pergunta.
Sim, sabemos que as coisas podem não acontecer da maneira como queremos que aconteçam. Mas isso não nos impede de querer que elas aconteçam da forma que queremos...

Vejamos, nos próximos posts, o que a reportagem tem a dizer sobre família, relacionamentos, trabalho e vida pessoal.

6 comentários:

Déia disse...

É tipo aquela propaganda..Tostines vende mais pq está sempre fresquinho, ou está sempre fresquinho pq vende mais...
A frustração faz parte da vida, sempre ouviremos muitos mais "nãos" do que sins na vida.. e declaradamente não é fácil ouvir um não.
Portanto sem frustração a vida fica morna ou melhor fria..pois é sinal que vc não sonhou, não desejou, logo nada aconteceu e vc não se frustrou rs..
Credo..isso nem tem cara de vida...
Como não há receita pronta, podemos nos ajudar..
Criar menos expectativa sobre as coisas, caso a primeira resposta seja negativa, procurar verificar os erros e tentar uma resposta nova e criativa para velhos problemas..nos ocuparmos de algo, ao invés de pré-ocuparmos nos matando de ansiedade..
Tudo isso pode facilitar e ajudar um pouco, mas a frustração, nunca deixará de existir...é o que eu acho! ufa.. rs
Bom fds..
E aí? cortou o cabelo? gostou ou se frustrou? rs

Ju disse...

olá!!! é verdade, sigo teu blog há um tempinho! acho teus textos super legais!!!

realmente, os achismos rendem muito!! principalmente diversão, quando se fala de política, futebol ou religião! rsrs

legal que vc gostou do blog... pego esses templates em sites por aí! :P

seja bem vindo sempre!

Ju disse...

"O problema é que, na maior parte das vezes, essas expectativas são tão elevadas que o confronto com a realidade é uma desilusão."

pra mim, esse é exatamente o ponto chave da questão.

MARIA SILVIA disse...

citações, então!
Schopenhauer! As expectativas têm duas maneiras de te frustrar: quando elas não acontecem e quando acontecem.
Alguma coisa assim... vi num café filosófico. A solução é não antecipar as experiências!

MARIA SILVIA disse...

Achei a citação certa! hahahaha
A vontade têm duas maneiras de te humilhar: nunca deixando vc chegar onde quer e deixando vc chegar onde quer.
AGORA SIM!

Gabriel disse...

Ow Maria, mas Schopenhauer vc pegou pesado hein....Qualquer frase dele acaba com esses textos sobre expectativa e frustração!!

Hahauha
Obrigado pelos comentários